terça-feira, 24 de agosto de 2010

Homenagem do poeta Arnoldo Pimentel à Gambiarra Profana


PARA OS AMIGOS E PARCEIROS DA GAMBIARRA PROFANA

                                                    Esse poema é uma simples homenagem aos amigos da Gambiarra Profana, que estão de uma forma ou de outra sempre comigo, sempre no meu coração e hoje sei que aprendi a amar cada um de vocês de uma maneira toda especial. Abaixo a relação dos poetas e poesias que estão aqui em ordem cronológica de tempo de amizade.

Autor: Arnoldo Pimentel (Partida Vazia, Ventos na Primavera)
Silviah Carvalho (Ave do Chão, Silêncio, Um Coração que Ama)
Márcio Rufino (Amor me Pegou, Dia Escuro, Mulher que Pinta)
Ivone Landim (Guardiã, Hoje, Razão de Ser)
Sergio-SalleS-oigerS (Flor do Lodo, Nu da Minha Voz, Recital Para a Porta da Cozinha)
Lenne Butterfly (Grande Mini Vigília no Monte Subterrâneo, Nós)
Vinícius Siqueira (Versos e Reversos)
Rodrigo Souza (Segredos do Poeta, Ser Você)
Fabiano Soares da Silva (Instrumental)
Gabriela Boechat (Aurora)
Luis Anjos (Janela)

               Esse poema foi inspirado no poema “Mulher que Pinta” do Márcio Rufino e das mulheres aqui presentes, acho que só a Lenne não pinta, pois nunca perguntei a ela, mas trabalha com imagens e é uma forma também de se expressar, as outras Silviah, Ivone e Gabriela escrevem e pintam.



MULHERES QUE PINTAM (Inspirado em “Mulher que Pinta")

Um dia meio sem querer
Conheci mulheres que escrevem e pintam
Conheci também um mundo feito de imagens
Feito de viagens

Conheci a mulher que pinta
Pinta sonhos
Pinta pássaros
Pinta tudo que vê pela frente

A mulher que pinta, que escreve e se descreve
Nunca está ausente
Está bem ali nos seus poemas
Nos quadros que olham pra gente
Sem pingente

Um dia senti o NU DA MINHA VOZ
Ouvi o RECITAL PARA A PORTA DA COZINHA
Ouvi o SILÊNCIO
Da GRANDE MINI VIGILIA NO MONTE SUBTERRÂNEO
Quando O AMOR ME PEGOU
E os SEGREDOS DO POETA ficam conhecidos
Quando o poeta escreve enquanto se descreve
Nos VENTOS NA PRIMAVERA
E HOJE todas as coisas são VERSOS E REVERSOS
Guardados pela GUARDIÃ
No coração da MULHER QUE PINTA
Na voz de quem é nu
No silêncio que penetra em “NÓS”
Assim tentamos ser
A AVE DO CHÃO
Para tentar aprender a voar novamente

Tentamos SER VOCÊ
Tentamos clarear o DIA ESCURO
E pintar alguma coisa que seja
INSTRUMENTAL
Mostrar que temos UM CORAÇÃO QUE AMA
Antes da nossa PARTIDA VAZIA
Antes de olharmos pela JANELA
E ficarmos admirando a FLOR DO LODO
Para não nos esquecermos de olhar dentro de nós
E descobrirmos que somos poeta de letras
De tintas
E temos nossa RAZÃO DE SER
Atravessamos o tempo
Rompemos a AURORA
E somos imortais

4 comentários:

  1. Fala cara, estou feliz pra cacete, muito feliz mesmo, fazer parte do Gambiarra Profana é uma honra, pois o Gambiarra está fazendo história e eu sinto que minha poesia só melhora, minha dedicação é cada vez maior, minha necessidade de sentir a poesia pulsar em minhas veias é intensa e devo isso a pessoas que estão ai nessa homenagem e cada uma delas sabe o quanto é importante no meu coração de poeta, de amigo, me desculpe mais acabaram as palavras.Beijos em todos do Gambiarra Profana, aqueles que estão aqui, os que estão longe mas aqui de coração e os que já se foram.

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito contente por conhece-los, me senti em casa !

    abraços

    ResponderExcluir
  3. Viva!!!, Arnoldo que poema lindo, como combinou cada verso, nossa! eu fiquei surpresa, meus parabéns, e muito obrigada.
    Perfeito.

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, inspirador... vai poeta !

    ResponderExcluir