segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

SILÊNCIO NAS OLIVEIRAS



SILÊNCIO NAS OLIVEIRAS

O sonho acabou
Com a nevasca que veio do norte
Bem em frente dos meus olhos
Ainda estiquei as mãos
Para ler um último salmo
E descobrir que meu corpo
É mais que um templo
Ou um pedaço de carne
E que poderei suportar
Todo o flagelo
Da  minha vigília
Nos porões das oliveiras
Enfeitados com flores verdes
E perfume de jasmim

Arnoldo Pimentel


Este poema é parte integrante do livro NUVENS
Para adquirir entre em contato
Email: arnoldopimentel@gmail.com

 

Quer uma dica de boa leitura poética?
Visite e siga o blog do Fabiano Soares da Silva
http://fabianopoe.blogspot.com

3 comentários:

  1. Muito lindo poema
    e parabéns pelo Livro
    Nuvens são cortinas que se dissipam
    nos horizontes, a aclarar
    nossos olhos, é possível voltar
    a sonhar...

    Abraços

    Livinha

    ResponderExcluir
  2. Sensibilidade que encanta, amigo!
    Beijos meus!

    ResponderExcluir