quinta-feira, 21 de abril de 2011

ARPOADOR (Gambiarra Profana, o coração que pulsa minha poesia)



Meus dias são iguais aos seus
Sem o brilho das gaivotas
Que brincam de caçar peixes
Enquanto voam em volta do mar

Parece até que ficamos
Apenas sentados na varanda
Esperando o dia cair
Entre as folhagens que a noite vai cobrir

Sei que os dias passam
E os anos ainda vagam
Pelo tempo

Sei que apenas nos olhamos
Cada um em sua varanda
Com os rostos tocados pelo lamento do vento

3 comentários:

  1. Amigo vc é uma benção papai do céu ti ilumine cada dia mais viu?A vida é o agora...
    Planos?
    Deixei nas mãos de Deus...
    E desfrute desse valioso
    Presente!!!
    passando pr ti desejar uma linda semana e feriado de pascoa, bjks no teu coração ja ti gostooo muitoooo!!!

    ResponderExcluir
  2. Bela poesia,amei!
    "Sei que apenas nos olhamos
    Cada um em sua varanda
    Com os rostos tocados pelo lamento do vento..."
    por que não podemos olhar juntos na mesma varada?ai como a saudade dói.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  3. intrigante,reflexivo...bjuuu poeta...

    ResponderExcluir